Impactos da má qualidade de dados

O impacto da má qualidade de dados no resultado de suas ações

Atualmente, as empresas estão tratando a gestão de dados de contato como prioridade. Isso porque 88% das empresas possuem uma estratégia de big data implantada ou estão planejando introduzir uma nos próximos 12 meses. Destas, 64% já atribuíram parte de seu orçamento de TI para tal finalidade. Além disso, 84% reconhecem dados como sendo uma parte integral da formação de suas estratégias de negócios. Essas estatísticas não deveriam surpreender. De acordo com os respondentes da nossa pesquisa, o principal motivador para o desejo de dados de qualidade é conquistar novos clientes (39%). Como pode ser observado no gráfico, as próximas três razões também se relacionam com a melhoria da experiência do cliente. Dados de contato influenciam sua capacidade de se comunicar e definir, de forma precisa, o perfil de clientes. Trabalhar com dados imprecisos afeta não apenas os custos e o atendimento ao cliente, mas também limita sua estratégia de vendas.

Dados de Contato Imprecisos

Apesar do forte investimento na qualidade de dados que foi anteriormente mencionada, as empresas ainda se deparam com sua base de dados repleta de inconsistências. As empresas se esforçam para prever quando e onde o próximo problema com dados ocorrerá. A maioria atribui problemas de qualidade de dados a erro humano; mas a falta de conhecimento, recursos humanos e tecnologia também impactam o progresso dos negócios. De todas as empresas que responderam à pesquisa, 23% acreditam que seus dados de clientes e prospects estejam imprecisos de alguma maneira, formato ou forma. Os principais erros reportados foram dados incompletos ou faltantes (60%), seguidos por informações desatualizadas (54%) e dados duplicados (51%). Os diferentes tipos de erros de dados ocorrem tanto internamente quanto externamente. Desafios internos incluem erro humano e falta de conhecimento, como mencionamos anteriormente. Noventa e quatro por cento das empresas tiveram algum tipo de desafio interno no aprimoramento da sua qualidade de dados. A falta de conhecimento em ferramentas ou habilidades foi a maior barreira para os negócios; ao passo que a variedade e o volume de dados com o que lidamos aumenta exponencialmente, a necessidade de funções especializadas para tratar da qualidade de dados também aumenta.

 

Em muitas empresas, o departamento responsável pela limpeza dos dados de contato é o TI. No entanto, nos últimos anos tem-se notado uma mudança de responsabilidade na qualidade de dados meramente de TI para um foco de negócios mais holístico. Os Diretores de Tecnologia e Informação (CIO) e os Diretores de Tecnologia (CTO) ainda estão mais propensos a serem responsáveis pelo gerenciamento de dados; contudo, estamos agora observando funções especialmente designadas à supervisão e à gestão dos dados. O Diretor de Dados (CDO – Chief Data Officer) é um exemplo disso. Diretores de Marketing, com clientes digitalmente conectados, esperam agora ter um maior domínio com relação aos dados.

Fonte: Piattino Lead Intelligence