Investir em sistemas de antifraude é indispensável

Por que investir em sistemas de antifraude é indispensável

No momento da venda ou da concessão de crédito, é vital que sua empresa trabalhe com segurança para evitar fraudes e reduzir riscos com inadimplência

Vendas online potencializam a expansão dos negócios e podem aumentar o giro dos estoques. Dessa forma, é cada vez maior o número de lojas físicas que migram suas operações para o mundo virtual e adotam o modelo de e-commerce. Logo, é necessário que haja atenção e planejamento nas práticas que envolvem transações, dados e análises de crédito. Ou seja, deve-se estar alerta em relação aos principais vilões do e-commerce: as fraudes.

Segundo André Uchôa, Chief Enterprise Architect da VTEX, o Brasil e o México são alguns dos países com maior índice de fraudes na internet principalmente porque têm economias fortes e disparidade social muito grande, influenciando a busca por fontes de renda inusitadas. Uma vez que é mais complexa a clonagem física dos cartões, a fraude migrou para o cenário online, em que não é necessário o uso de senhas pessoais para validar uma transação.

É comum empresas de diversos segmentos enfrentarem problemas com a falsa identidade de clientes. A escassez de informações no momento de decisão de negociações também é realidade da maioria das organizações e pode provocar dificuldades futuras, como descobrir que o cliente não possui fundos para a contratação do serviço. Assim, é fundamental consultar informações atreladas a um CNPJ ou CPF antes de assinar contratos, realizar concessões de crédito e fazer parcerias com outras empresas ou pessoas físicas.

Ao analisar informações como protestos, ações, cheques sem fundo e pendências financeiras de clientes, é possível minimizar os riscos de inadimplência nas negociações e os custos de tempo e operações, viabilizando maior número de vendas e melhores experiências de compra. Além de combater a fraude, é vital desenvolver confiança entre sua empresa e o cliente, proporcionando o cenário ideal para a organização crescer com segurança. É inconveniente ter má reputação ou perder a confiança do consumidor, uma vez que ele provavelmente associará o caso diretamente à qualidade do serviço prestado pelo e-commerce, disseminando sua opinião e influenciando potenciais compradores.

Por que acontecem as fraudes?

As fraudes acontecem devido a uma grande quantidade de vazamento de informações. Hackers especializados em roubos de dados pessoais na internet efetuam estes tipos de golpes e roubam as informações de clientes legítimos, usando-as para fazer compras online. Fraudes são mais comuns em compras virtuais, pois o CVV (código de verificação) dos cartões de crédito e débito podem ser capturados mais facilmente do que no mundo físico, em que o cliente insere sua senha nas máquinas de cartão.

Como se prevenir de fraudes?

A melhor forma de se livrar de uma fraude é evitar que ela aconteça. Assim, é necessário utilizar um serviço de validação de antifraude logo no início da análise de crédito, confrontando informações de cadastro e reduzindo custos com aquisição de informações creditícias. De forma genérica, o sistema de antifraude analisa os dados do comprador, suas redes sociais, o valor da compra, sua localização e, não menos importante, o perfil de compra desse consumidor, verificando seu comportamento de navegação para buscar indícios de possíveis ataques. O cruzamento destes dados indicará se tal cliente é legítimo ou não.

Ademais, outras medidas podem ser tomadas como forma de prevenção desse problema. Contar com um certificado de segurança no e-commerce é favorável para a loja (que não corre o risco de ter os dados roubados) e garante mais confiança aos possíveis compradores. Considerar a utilização de intermediadores de pagamento é uma opção para e-commerces com operações pequenas ou que não possuem conhecimento sobre como fazer uma boa análise de fraude. Assim, os intermediadores ficam responsáveis por receber os pagamentos, analisar os riscos e liberar — ou não — a transação.

Basicamente, ter processos bem definidos auxilia no controle e padronização dos e-commerces, independente da escolha do método de análise de fraude. Para análises feitas internamente, é importante selecionar ferramentas de apoio seguras, assim como estabelecer todos os critérios de aprovação manuais. Já para o uso de intermediadores, deve-se compartilhar os comprovantes de envio e entrega com o sistema do parceiro e utilizar meios de transporte seguros de forma a garantir a entrega dos produtos. Investir em sistemas de antifraude não é luxo, é necessidade.

 

Ivana Avellar
Marketing e Produto